Passar para o Conteúdo Principal

Fábrica de transformação de atum já abriu em Cerveira com 90 postos de trabalho

Inaugura  o central lomera portuguesa oficiais  3  1 980 2500
04 Dezembro 2018

Arrancou, esta segunda-feira, a nova unidade fabril de transformação de pescado no Parque Empresarial do Fulão, em Vila Nova de Cerveira, que resulta de uma parceria entre duas das maiores empresas galegas da área - Marfrio e Atunlo. Com um investimento de mais de 7 milhões de euros, a Central Lomera Portuguesa abriu portas com 90 colaboradores e espera ser um dos maiores operadores do setor a nível internacional.

Dando resposta ao mercado de gama alta espanhol e europeu, o consórcio galego inaugurou, esta segunda-feira, 3 de dezembro, a nova unidade industrial de 14.000m2 destinada à produção de atum pré-cozido, um produto de alta qualidade procedente de uma pesca sustentável, com uma capacidade de produção de 20 mil toneladas anual.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal, “esta nova unidade é o resultado de um trabalho de cooperação transfronteiriça e das excelentes relações económicas entre os dois países, a qual vem consolidar e valorizar o tecido empresarial cerveirense”. Fernando Nogueira sublinhou que “sem dúvida, este será mais um caso de sucesso para a atividade económica do Alto Minho e da Galiza”.

Javier Bascuas, diretor geral da Central Lomera Portuguesa, reforçou esta ideia, perspetivando que a empresa se torne “mais um motor económico para o concelho e que atinja uma produção de 100 toneladas de atum diárias”.

Esta é a primeira unidade fabril a instalar-se no Parque Empresarial do Fulão, fruto de um protocolo de cooperação que o Município de Vila Nova de Cerveira estabeleceu, em 2016, com o Grupo Gradin - entidade proprietária - para agilizar a promoção e flexibilização dos cerca de 40 hectares disponíveis.

A faturação anual prevista é de 35 milhões de euros na fase inicial, perspetivando-se um crescimento para os 50 milhões de euros após o primeiro ano de atividade.